segunda-feira, 3 de abril de 2017

Guerra Fria

História da Guerra Fria, corrida armamentista, definição, OTAN e Pacto de Varsóvia, guerras, corrida espacial, Plano Marshall, Queda do Muro de Berlim

Introdução - o que foi e definição

A Guerra Fria tem início logo após a Segunda Guerra Mundial, pois os Estados Unidos e a União Soviética vão disputar a hegemonia política, econômica e militar no mundo.

A União Soviética possuía um sistema socialista, baseado na economia planificada, partido único (Partido Comunista), igualdade social e falta de democracia. Já os Estados unidos, a outra potência mundial, defendia a expansão do sistema capitalista, baseado na economia de mercado, sistema democrático e propriedade privada. Na segunda metade da década de 1940 até 1989, estas duas potências tentaram implantar em outros países os seus sistemas políticos e econômicos.

A definição para a expressão guerra fria é de um conflito que aconteceu apenas no campo ideológico, não ocorrendo um embate militar declarado e direto entre Estados Unidos e URSS. Até mesmo porque, estes dois países estavam armados com centenas de mísseis nucleares. Um conflito armado direto significaria o fim dos dois países e, provavelmente, da vida no planeta Terra. Porém ambos acabaram alimentando conflitos em outros países como, por exemplo, na Coreia e no Vietnã.

Paz Armada


Construção do Muro de Berlim
Construção do Muro de Berlim
Na verdade, uma expressão explica muito bem este período: a existência da Paz Armada. As duas potências envolveram-se numa corrida armamentista, espalhando exércitos e armamentos em seus territórios e nos países aliados. Enquanto houvesse um equilíbrio bélico entre as duas potências, a paz estaria garantida, pois haveria o medo do ataque inimigo. 

Nesta época, formaram-se dois blocos militares, cujo objetivo era defender os interesses militares dos países membros. A OTAN - Organização do Tratado do Atlântico Norte (surgiu em abril de 1949) era liderada pelos Estados Unidos e tinha suas bases nos países membros, principalmente na Europa Ocidental. O Pacto de Varsóvia era comandado pela União Soviética e defendia militarmente os países socialistas.

Alguns países membros da OTAN: Estados Unidos, Canadá, Itália, Portugal, Inglaterra, Alemanha Ocidental, França, Suécia, Espanha (entrou em 1982), Bélgica, Holanda, Dinamarca, Áustria e Grécia.

Alguns países membros do Pacto de Varsóvia: URSS, Cuba, China, Coreia do Norte, Romênia, Alemanha Oriental, Albânia, Tchecoslováquia e Polônia.

Corrida Espacial


EUA e URSS travaram uma disputa muito grande no que se refere aos avanços espaciais. Ambos corriam para tentar atingir objetivos significativos nesta área. Isso ocorria, pois havia uma grande disputa entre as potências, com o objetivo de mostrar para o mundo qual era o sistema mais avançado. No ano de 1957, a URSS lança o foguete Sputnik com um cão dentro, o primeiro ser vivo a ir para o espaço. Doze anos depois, em 1969, o mundo todo pôde acompanhar pela televisão a chegada do homem a lua, com a missão espacial norte-americana.

Caça as Bruxas

Os EUA liderou uma forte política de combate ao comunismo em seu território e no mundo. Usando o cinema, a televisão, os jornais, as propagandas e até mesmo as histórias em quadrinhos, divulgou uma campanha valorizando o "american way of life". Vários cidadãos americanos foram presos ou marginalizados por defenderem ideias próximas ao socialismo. O Macarthismo, comandado pelo senador republicano Joseph McCarthy, perseguiu muitas pessoas nos EUA. Essa ideologia também chegava aos países aliados dos EUA, como uma forma de identificar o socialismo com tudo que havia de ruim no planeta.

Na URSS não foi diferente, já que o Partido Comunista e seus integrantes perseguiam, prendiam e até matavam todos aqueles que não seguiam as regras estabelecidas pelo governo. Sair destes países, por exemplo, era praticamente impossível. Um sistema de investigação e espionagem foi muito usado de ambos os lados. Enquanto a espionagem norte-americana cabia aos integrantes da CIA, os funcionários da KGB faziam os serviços secretos soviéticos.

A divisão da Alemanha

Após a Segunda Guerra, a Alemanha foi dividida em duas áreas de ocupação entre os países vencedores. A República Democrática da Alemanha, com capital em Berlim, ficou sendo zona de influência soviética e, portanto, socialista. A República Federal da Alemanha, com capital em Bonn (parte capitalista), ficou sob a influência dos países capitalistas. A cidade de Berlim foi dividida entre as quatro forças que venceram a guerra: URSS, EUA, França e Inglaterra. Em 1961 foi levantado o Muro de Berlim, para dividir a cidade em duas partes: uma capitalista e outra socialista.

"Cortina de Ferro"

Em 1946, Winston Churchill (primeiro ministro britânico) fez um famoso discurso nos Estados Unidos, usando a expressão "Cortina de Ferro" para se referir à influência da União Soviética sobre os países socialistas do leste europeu. Churchill defendia a ideia de que, após a Segunda Guerra Mundial, a URSS tinha se tornado a grande inimiga dos valores ocidentais (democracia e liberdade, principalmente).

Plano Marshall e COMECON

As duas potências desenvolveram planos para desenvolver economicamente os países membros. No final da década de 1940, os EUA colocaram em prática o Plano Marshall, oferecendo ajuda econômica, principalmente através de empréstimos, para reconstruir os países capitalistas afetados pela Segunda Guerra Mundial. Já o COMECON foi criado pela URSS em 1949 com o objetivo de garantir auxílio mútuo entre os países socialistas.

Envolvimentos Indiretos

Guerra da Coreia: Entre os anos de 1951 e 1953 a Coreia foi palco de um conflito armado de grandes proporções. Após a Revolução Maoísta ocorrida na China, a Coreia sofre pressões para adotar o sistema socialista em todo seu território. A região sul da Coreia resiste e, com o apoio militar dos Estados Unidos, defende seus interesses. A guerra dura dois anos e termina, em 1953, com a divisão da Coreia no paralelo 38. A Coreia do Norte ficou sob influência soviética e com um sistema socialista, enquanto a Coreia do Sul manteve o sistema capitalista.

Guerra do Vietnã: Este conflito ocorreu entre 1959 e 1975 e contou com a intervenção direta dos EUA e URSS. Os soldados norte-americanos, apesar de todo aparato tecnológico, tiveram dificuldades em enfrentar os soldados vietcongues (apoiados pelos soviéticos) nas florestas tropicais do país. Milhares de pessoas, entre civis e militares morreram nos combates. Os EUA saíram derrotados e tiveram que abandonar o território vietnamita de forma vergonhosa em 1975. O Vietnã passou a ser socialista. 

Fim da Guerra Fria e consequências

A falta de democracia, o atraso econômico e a crise nas repúblicas soviéticas acabaram por acelerar a crise do socialismo no final da década de 1980. Em 1989 cai o Muro de Berlim e as duas Alemanhas são reunificadas. No começo da década de 1990, o então presidente da União Soviética Gorbachev começou a acelerar o fim do socialismo naquele país e nos aliados. Com reformas econômicas, acordos com os EUA e mudanças políticas, o sistema foi se enfraquecendo. Era o fim de um período de embates políticos, ideológicos e militares. O capitalismo vitorioso, aos poucos, iria sendo implantado nos países socialistas.

Arte na Pré-História - Arte Rupestre - Arte Primitiva

História da arte na pré-história, as características da arte rupestre, pinturas em cavernas, arte primitiva dos povos nativos, representação artística do tempo das cavernas, esculturas primitivas, arte indígena. 

Introdução 

Há cerca de 40 mil anos, os homens pré-históricos já se manifestavam artisticamente. Embora ainda não conhecessem a escrita, eles eram capazes de produzir obras de arte. A arte rupestre é composta por representações gráficas (desenhos, símbolos, sinais), feitas em paredes de cavernas ou nas superfícies de rochas de grande porte, pelos homens da Pré-História. Elas são de fundamental importância para o estudo da Pré-história, pois fornecem dados e informações para o entendimento do desenvolvimento cultural desta época.

Características principais da arte rupestre

O homem pré-histórico era capaz de se expressar artisticamente através dos desenhos que fazia nas paredes de suas cavernas. Suas pinturas mostravam os animais e pessoas do período em que vivia, além de cenas de seu cotidiano (caça, rituais, danças, alimentação, etc.). Expressava-se também através de suas esculturas em madeira, osso e pedra. O estudo desta forma de expressão contribui com os conhecimentos que os cientistas têm a respeito do dia a dia dos povos antigos.

Para fazerem as pinturas nas paredes de cavernas, os homens da Pré-História usavam sangue de animais, saliva, fragmentos de rochas, argila, etc. 

Arte indígena 


Além da arte pré-histórica vista no parágrafo acima, há outro tipo de arte primitiva: a realizada pelos índios e outros povos que habitavam a América antes da chegada de Cristóvão Colombo. Os povos: maias, astecas e incas são representantes da arte pré-colombiana. A história destes povos é contada através de sua arte (pinturas, esculturas e templos grandiosos, construídos com pedras ou materiais preciosos). 


Arte Primitiva na atualidade

Nos dias de hoje também é possível encontrar arte primitiva; alguns exemplos são as máscaras para rituais, esculturas e pinturas que são feitas pelos negros africanos. Há ainda a arte primitiva entre os nativos da Oceania e também entre os índios americanos, que fazem objetos de arte primitiva muito apreciados entre os povos atuais. 








Pintura rupestre do Parque Nacional da Serra da Capivara (Toca do Boqueirão da Pedra Furada)





Locais com pinturas rupestres no Brasil:

- Parque Nacional da Serra da Capivara em São Raimundo Nonato (Piauí) 
- Parque Nacional Sete Cidades (Piauí)
- Cariris Velhos (Paraíba)
- Lagoa Santa (Minas Gerais)
- Rondonópolis (Mato Grosso)
- Peruaçu (Minas Gerais)

Locais com pinturas rupestres na Europa:

- Caverna de Les Trois-Frères - França (pinturas rupestres do Paleolítico Superior);

- Complexo de Cavernas de Lascaux - França (uma das mais conhecidas do mundo e Patrimônio Mundial da UNESCO);

- Caverna de Altamira - cidade de Santander na Espanha (arte rupestre do período Paleolítico Superior);

- Arte Rupestre do Val Camonica - Itália (pinturas feitas na Idade do Ferro).

Curiosidade:

- As pinturas rupestres mais antigas já encontradas estão na gruta de El Castillo, na província da Cantábria (Espanha). Elas foram feitas a, aproximadamente, quarenta mil anos e retratam imagens de animais e desenhos de mãos humanas. Todas as pinturas foram feitas na cor vermelha.


fonte: www.suapesquisa.com



domingo, 5 de fevereiro de 2017

Poluição do solo

POLUIÇÃO

O solo é a camada mais superficial da crosta terrestre. Uma das formas de poluição ambiental é a poluição do solo, isto é, a contaminação deste com substância que alteram sua estrutura, como agrotóxicos, lixo e solventes.
A solução para os problemas causados pela poluição estaria na reciclagem de materiais que agem como vilões para o solo, como plástico, vidro, entre outros. O uso de materiais biodegradáveis também ajuda na redução de danos ao solo.

LIXO

Na Idade média, a Peste Bubônica, conhecida como Peste Negra, dizimou metade da população europeia. Os roedores que ficavam nos porões dos navios de comércio encontraram um ambiente favorável, já que essas cidades possuíam condições precárias de higiene, com esgoto a céu aberto e o lixo acumulado nas ruas. Com a população descontrolada de ratos contaminados com a bactéria Pasteurella pestis, as pulgas destes transmitiam a bactéria para os seres humanos ao serem picados. E, dessa forma, um terço da população foi morta pela doença.

Esse acontecimento marcou a história e até hoje é lembrado, sendo o lixo o maior vilão. Atualmente, a quantidade de lixo gerado pelos seres humanos é muito alta e com os poucos recursos, muitos são levados para os conhecidos “lixões”, a céu aberto, onde há proliferação de animais nocivos, como ratos, moscas e baratas. Além disso, em muitos lugares, é possível ver o lixo sendo jogado nos rios e acumulado nos solos.
Diferença entre lixão e aterro sanitário (Foto: AmbientalSustentável)Diferença entre lixão e aterro sanitário (Foto: AmbientalSustentável)
O reaproveitamento do lixo e áreas maiores de aterros sanitários poderiam ser soluções eficientes para diminuição dos danos causados no meio ambiente. Hoje, a reciclagem do lixo tem sido empregada em muitas casas, mas ainda em um ritmo pequeno.

Em alguns casos, os lixos são enterrados provocando ainda mais problemas ambientais, já que há contaminação dos lençóis freáticos pela produção do chorume, um líquido altamente poluente. A incineração do lixo também causa poluição, já que há produção de gás carbônico, contudo materiais tóxicos e hospitalares devem ser incinerados.

A solução para diminuir os danos e resolver o problema do lixo são a compostagem, reciclagem e a reutilização. Na compostagem, as sobras orgânicas colocadas no solo servem de adubo rico, já que esse material sofrerá o processo de decomposição por bactérias. A reciclagem tem como objetivo separar materiais que não podem ser decompostos, como alumínio, plástico, papel e dessa forma são reaproveitados para fabricação de novos produtos. Na reutilização, há produção de gás natural, como o metano. Os organismos decompositores degradam a matéria orgânica em biogestores, produzindo metano para o uso de combustível.

DESMATAMENTO E QUEIMADAS

O desmatamento sempre foi um grande problema brasileiro. Em 1500 os portugueses devastaram grandes em áreas por causa do pau-brasil, uma árvore típica daqui que era muito valiosa na Europa.

Mata Atlântica e outras áreas estão sofrendo o desmatamento provocado pelo homem para serem usadas como pastagem para animais, além de plantações, entre outros motivos, até mesmo para contrabando.
Desmatamento da Mata Atlântica (Foto: Cultura Mix)Desmatamento da Mata Atlântica (Foto: Cultura Mix)
Com o desmatamento, vários processos naturais acabam surgindo, como a erosão, aterramento dos rios e lagoas, efeito estufa, redução das chuvas, além da diminuição da biodiversidade dos seres vivos que estão presentes no ecossistema a ser desmatado.

As queimadas também são muito utilizadas para limpar terrenos a fim de serem usados como pastagem e pecuária. São causas de grandes impactos ambientais, já que aumentam efeito estufa e reduzem a fertilidade do solo. Além disso, a fauna também é prejudicada, acabando com o habitat de diversas espécies. Como no desmatamento, a queimada também deixa o solo sujeito à erosão contribuindo ainda mais para o assoreamento de lagos e rios.

EXERCÍCIOS

(ENEM-2006) As florestas tropicais úmidas contribuem muito para a manutenção da vida no planeta, por meio do chamado seqüestro de carbono atmosférico. Resultados de observações sucessivas, nas últimas décadas, indicam que a floresta amazônica e capaz de absorver ate 300 milhões de toneladas de carbono por ano. Conclui-se, portanto, que as florestas exercem importante papel no controle:
a) das chuvas ácidas, que decorrem da liberação, na atmosfera, do dióxido de carbono resultante dos desmatamentos por queimadas.

b) das inversões térmicas, causadas pelo acúmulo de dióxido de carbono resultante da não-dispersão dos poluentes para as regiões mais altas da atmosfera.

c) da destruição da camada de ozônio, causada pela liberação, na atmosfera, do dióxido de carbono contido nos gases do grupo dos clorofluorcarbonos.

d) do efeito estufa provocado pelo acúmulo de carbono na atmosfera, resultante da queima de combustíveis fósseis, como carvão mineral e petróleo.

e) da eutrofização das águas, decorrente da dissolução, nos rios, do excesso de dióxido de carbono presente na atmosfera.

Gabarito 
Letra D. O sequestro do dióxido de carbono está relacionado ao controle do efeito estufa: elevação da temperatura global em decorrência do acúmulo de dióxido de carbono. Esse processo pode ocorrer, por exemplo, pela queima de combustíveis fósseis.

(Fatec-2005) Se forem reflorestadas várias áreas, ao redor e dentro de grandes centros urbanos, podem-se combater os poluentes liberados pela queima de combustíveis fósseis. O dióxido de carbono é um dos poluentes mais abundantes, e sua remoção envolve a elaboração de um produto por um evento metabólico.Assinale a alternativa que apresenta, respectivamente, o produto e o fenômeno metabólico do processo descrito.

a) Carboidrato e fotossíntese.
b) Proteína e fermentação.
c) Carboidrato e fermentação.
d) Proteína e fotossíntese.
e) Oxigênio e respiração aeróbica

Gabarito
Letra A. O gás carbônico (CO2) eliminado nos centros urbanos será utilizado pelas plantas durante a fotossíntese, levando à produção de carboidratos.

(Mack-2006) Cientistas mediram a quantidade de carbono nos solos de 2.179 localidades do Reino Unido em 1978, 1994/5, 1996/7 e 2003. Verificaram que quase todos os solos estavam perdendo carbono, a uma taxa média de 0,6% ao ano, o que significa 13 milhões de toneladas anuais. Como a perda aconteceu mesmo em solos que não são usados para agricultura, os pesquisadores assumem que a mudança seja ocasionada pelo aumento da temperatura global no último século, que foi de 0,7ºC. Quanto mais calor, maior a atividade de micróbios que decompõem matéria orgânica no solo, liberando CO2, o que, por sua vez, aumenta ainda mais a temperatura.
Folha Ciência, 08/09/2005.

Analisando-se o texto acima, é correto afirmar que:
a) a quantidade de CO2 liberada do solo é insignificante, comparando-se com a quantidade liberada à atmosfera por outras fontes, não constituindo, portanto, motivo de preocupação.
b) o problema da liberação do CO2 pode ser resolvido se forem eliminados os micróbios responsáveis pela produção desse gás.

c) essa perda de CO2 pelos solos aumenta a taxa de CO2 da atmosfera e favorece a ocorrência do efeito estufa.

d) o aumento na quantidade de CO2 da atmosfera não tem relação com o efeito estufa.

e) o efeito estufa não ocorre, mesmo que haja aumento na taxa de CO2 na atmosfera, pois as plantas, por meio da fotossíntese, utilizam todo o excesso desse gás.

Gabarito
Letra C. O CO2 é o grande responsável pela retenção das radiações infravermelhas responsáveis pelo aquecimento global (efeito estufa).

(UFSCar-2009) A prática da queima da palha da cana-de-açúcar para facilitar a colheita deve ser extinta no Estado de São Paulo, por causar danos ao meio ambiente. Estes danos estão diretamente relacionados com:

a) o aumento de compostos nitrogenados no solo, como amônia e nitrato.
b) a redução na evaporação da água do solo.
c) o aumento da matéria orgânica na superfície do solo, provocado pela queima da matéria vegetal.
d) a redução da erosão na área, provocando o acúmulo de cinzas na superfície.
e) o aumento na concentração de gases tóxicos na atmosfera, provocado pela combustão da matéria orgânica.

Gabarito
Letra E. A queima da palha da cana-de-açúcar intensifica a concentração de gases tóxicos na atmosfera, como por exemplo, o gás carbônico (CO2).

(UFSCar-2006) Nas zonas urbanas das grandes cidades, cada habitante produz cerca de 1kg de lixo diariamente. A maior parte desse material acaba sendo depositada em lixões ou aterros sanitários. Sobre esses dois métodos de destinação do lixo, pode-se dizer que:
a) os lixões são mais indicados que os aterros apenas quando localizados fora do perímetro urbano e quando houver controle sobre o acesso de pessoas.

b) lixões e aterros apresentam o inconveniente de inviabilizar a coleta seletiva do lixo e a reciclagem de material.

c) os aterros apresentam a vantagem de minimizar o risco de transmissão de doenças, mas são desvantajosos porque não impedem a contaminação do solo e das águas subterrâneas.

d) os lixões mantêm o lixo exposto a céu aberto, atraindo animais e provocando mau cheiro. Quando cobertos com lona ou mantidos sob galpão, são denominados aterros sanitários.

e) os aterros, assim como os lixões, produzem gás metano e chorume, mas nos aterros há controle sobre a produção e drenagem desses produtos, de modo a não contaminar o solo e a atmosfera.

Gabarito
Letra E. Os lixões provocam a contaminação do solo, enquanto os aterros possuem sistema de drenagem para o chorume e o gás metano para que não haja essa poluição do solo.

Relações desarmônicas

AMENSALISMO

As comunidades são formadas por diferentes populações que interagem entre si. Quando a interação ocorre entre indivíduos da mesma espécie são denominadas relações intraespecíficas, entretanto quando a relação ocorre entre diferentes espécies, essas são relações interespecíficas. Quando nessas relações há vantagem mútua para os indivíduos da associação, essa chama-se relação harmônica. No contrário, quando ambos ou apenas um indivíduo é prejudicado, chamamos a relação de desarmônica. Abaixo seguem as principais relações desarmônicas.

O amensalismo é uma relação intraespecífica na qual um ser vivo produz e libera uma substância que prejudica o crescimento da outra. O exemplo mais clássico é o que ocorre com os antibióticos, como a penicilina sintetizada pelo fungo Penicillium notatum. Há ainda outros exemplos, como quando ocorre a maré vermelha, onde há uma intensa proliferação das algas vermelhas que liberam uma substância tóxica para muitos animais marinhos, como ocorre com certas raízes que liberam substâncias que impedem o crescimento de outras plantas ao redor, dentre outros.

PREDATISMO

Predatismo: camaleão captura inseto. (Foto: G1)Predatismo: camaleão captura inseto. (Foto: G1)
Essa relação se estabelece quando animais de nível trófico acima, denominados predadores, capturam, matam e se alimentam de animais de um nível trófico abaixo, denominados presas. O predatismo ocorre com quase todos os carnívoros, como leão, lobo, onça, dentre outros. Assim, nessa relação de participação diretamente do controle populacional, como da população de predadores pode equilibrar a população de presas e vice-versa, como mostrado no gráfico abaixo. Entretanto, um desequilíbrio ambiental pode afetar um aumento ou diminuição de uma dessas populações.
Gráfico sobre controle populacional (Foto: Reprodução)Gráfico sobre controle populacional (Foto: Reprodução)

PARASITISMO

Nessa relação apenas um ser vivo é beneficiado e o outro é prejudicado. Esta relação ecológica ocorre entre indivíduos de espécies diferentes, sendo que uma delas, denominada parasita, habita o interior (denominados endoparasitas, como por exemplo, o protozoário Trypanosoma cruziagente etiológico da doença de Chagas) ou exterior (denominados ectoparasitas, como por exemplo, o piolho) de outra espécie, denominada hospedeiro. O parasita alimenta-se de seu hospedeiro e as consequências dessa relação pode ocasionar a morte do hospedeiro.

O nematódeo Ascaris lumbricoides, conhecido popularmente como lombriga, instala se no hospedeiro, como por exemplo, o homem, provocando doenças de má nutrição, podendo levar indiretamente à morte do individuo.
Vespa Cotesia flavipes atacando uma lagarta. (Foto: Agência Embrapa)Vespa Cotesia flavipes atacando uma lagarta. (Foto: Agência Embrapa)
As relações parasitárias também acontecem na flora brasileira como ocorre com o cipó-chumbo que não possui clorofila, dessa forma não realiza fotossíntese, não conseguindo produzir seu próprio alimento. Entretanto, apresentam finas raízes, denominadas haustórios, que penetram nos vasos liberianos da planta hospedeira, obtendo seu alimento.

Os parasitas são comumente utilizados no controle biológico de pragas uma vez que os parasitas são específicos quanto ao seu hospedeiro, instando-se em uma ou algumas poucas espécies. A vespa Cotesia flavipes é parasita da fase larval da lagarta da broca da cana-de-açúcar, matando a mesma antes que cause dano na agricultura. 

COMPETIÇÃO

A competição interespecífica ocorre quando duas populações de espécies distintas, mas que possuem o mesmo nicho ecológico ou semelhante, disputam pelo mesmo recurso. Essa relação pode controlar a densidade das duas populações, entretanto um desequilíbrio ecológico pode ocasionar a extinção de uma das espécies. Esse é o princípio da exclusão competitiva ou princípio de Gause, no qual duas espécies podem ocupar o mesmo hábitat, mas não o mesmo nicho por muito tempo, pois haverá a exclusão de uma delas. Tal princípio foi obtido após os experimentos de Gause utilizando duas espécies do protozoário paramécio: Paramecium aurelia Paramecium caudatum.
Gráfico com população de paramécios (Foto: Professor.bio.com.br)Gráfico com população de paramécios (Foto: Professor.bio.com.br)
Outro exemplo de competição interespecífica é o caso do peixe piloto e o tubarão. Tais espécies ocupam o mesmo nicho ecológico, mas nesse caso, a relação entre eles não prejudica nenhum deles. O peixe piloto desloca-se ao lado do tubarão, alimentando-se de restos deixados por esse devorador voraz.

Além da competição interespecífica, há ainda a intraespecífica, onde os indivíduos estão constantemente competindo pelos mesmo recursos, como por exemplo, a competição pelo néctar de uma flor entre beija-flores. Tal relação ecológica está muito relacionada às mudanças evolutivas e ao equilíbrio populacional de uma comunidade.

EXERCÍCIOS

(Unifesp-2003) A raflésia é uma planta asiática que não possui clorofila e apresenta a maior flor conhecida, chegando a 1,5 metro de diâmetro. O caule e a raiz, no entanto, são muito pequenos e ficam ocultos no interior de outra planta em que a raflésia se instala, absorvendo a água e os nutrientes de que necessita. Quando suas flores se abrem, exalam um forte odor de carne em decomposição, que atrai muitas moscas em busca de alimento. As moscas, ao detectarem o engano, saem da flor, mas logo pousam em outra, transportando e depositando no estigma desta os grãos de pólen trazidos da primeira flor. O texto descreve duas interações biológicas e um processo, que podem ser identificados, respectivamente como:

a) Inquilinismo, mutualismo e polinização.
b) Inquilinismo, comensalismo e fecundação.
c) Parasitismo, mutualismo e polinização.
d) Parasitismo, comensalismo e fecundação.
e) Parasitismo, comensalismo e polinização.

Gabarito
Letra E. A raflésia estabelece com a outra planta uma relação de parasitismo com intuito de absorver água e nutrientes da mesma para seu crescimento. A atração das moscas pelo forte odor exalado pela raflésia mantém uma relação de comensalismo com a flor, pois nenhuma das duas espécies se prejudica, mas apenas a raflésia se beneficia, facilitando a polinização e dispersão de suas sementes.